Postado em 08 de Abril às 09h14

Ferramenta Canvas da Proposta de Valor

Ferramentas (6)Inovação (7)Empreendedorismo (4)

A proposta de valor é a razão ou o motivo pelo qual as pessoas adquirem seus produtos e serviços. Você deve pensar se está atendendo a uma necessidade, resolvendo um problema, benefícios, ganhos adicionais, melhorando alguma situação existente. Deixando seu produto ou serviço mais competitivo.

O seu modelo de negócios pode ter mais de uma proposta de valor. Cada proposta pode resolver um problema ou satisfazer uma necessidade diferente de cada Segmento de Clientes, persona ou público-alvo.

A proposta de valor deverá se encaixar com o perfil do seu potencial cliente, para isso vamos utilizar uma ferramenta, o Canvas da Proposta de Valor.

A ferramenta é muito intuitiva, repleta de perguntas que provocam um resultado e respostas que vão ajudar a criar vários diferenciais que poderão surpreender seu potencial cliente e não deixará você esquecer-se de detalhes importantes no desenvolvimento de uma Proposta de Valor.

É importante entender que a Proposta de Valor não é seu produto e serviço, mas sim o que ele resolve, o que ele entrega, o que deixa o cliente feliz ao utilizar ou comprar, quais são os benefícios. Nesse caso, vejamos alguns exemplos:

• Netflix é um aplicativo: “aluguel ilimitado de filmes, sem sair de casa, nem multas, nem custos adicionais”.
• Nespresso são máquinas de café expresso com cápsulas: “o melhor café expresso sem trabalho nem sujeira dentro de casa”.
• Software financeiro: “seu financeiro redondo em apenas 30 minutos por semana”.
• Skype é um software de comunicação: “ligações gratuitas pela internet e ligações mais baratas para telefones fixos e celulares.”
• Evernote é um software que armazena dados: “seu segundo cérebro turbinado” Antes de iniciar a ferramenta que vai nos ajudar no desenvolvimento e na descoberta da proposta de valor do seu produto ou serviço, vamos ver alguns tipos de proposta de valor que podem ser comuns entre alguns modelos de negócios.

Os valores da sua Proposta de Valor podem ser qualitativos (ex.: preço, velocidade, status) ou quantitativos (ex.: design, desempenho, resistência).

Também criado por Alexander Osterwalder, o quadro da Proposta de Valor é uma ferramenta complementar ao quadro do Modelo de Negócios. Ele te ajuda a desenhar, testar e construir a proposta de valor da sua companhia para os clientes de uma forma mais estruturada e elaborada, igual o Canvas ajuda no processo de desenhar o modelo de negócio.

Baixe e imprima a ferramenta clicando no link: https://gustavodam.com.br/anexos/1032/28479/canvas--proposta-de-valor-pdf


Para conceitos e como funciona o Canvas da Proposta de Valor, assista ao vídeo de Marcelo Nakagawa com a ferramenta em mãos:

Assista o vídeo com instruções: https://www.youtube.com/watch?v=DUdyyk8gPY0

 

Agradeço a preferência e volte sempre! Ficamos a disposição.
Atenciosamente

Gustavo Damschi - Empreendedorismo e Inovação.

 


Postado em 10 de Fevereiro às 16h41

Funil de Ideias para criar uma inovação

Empreendedorismo (4)Inovação (7)Ferramentas (6)

Vamos aprender uma ferramenta muito interessante para quem quer montar um negócio, encontrar uma inovação, mas ainda não sabe no que investir e por onde começar. Lembre-se que a criatividade e a informação são a base para identificar uma ideia inovadora. Acredito que esta ferramenta vai ajudar você nesta jornada.

Algumas ótimas ideias inovadoras, surgiram da vivência da pessoa, naquilo que ela gosta de fazer e tem um conhecimento e competência. Outras possibilidades é na observação das possibilidades do mercado. Como vimos no post Como identificar uma oportunidade de inovação? as boas ideias podem estar em qualquer lugar e em qualquer momento, basta ter a mente questionadora para encontrar.

A geração de ideias a partir da sua vivência implica na reflexão sobre:
Quem somos? Origem, família, nível de educação, formação acadêmica, experiência profissional etc.
O que sabemos fazer? Habilidades, conhecimentos, talentos pessoais.
Quem conhecemos? Amigos, família, conhecidos, associações, empresas.

Se fizer uma boa reflexão sobre estas três questões, o empreendedor terá uma boa lista de ideias que poderiam ser oportunidades de negócio. Considere mesmo as ideias mais elementares. Um engenheiro poderia pensar em dar aulas de matemática, uma jovem poderia trabalhar como babá e uma dona de casa poderia fazer lanches.

Em seguida, é recomendável reduzir a lista, considerando as ideias mais viáveis de executar, de acordo com as preferências e competências pessoais do empreendedor.

A próxima etapa é uma reflexão sobre quem seriam os primeiros clientes destas ideias. A essa altura, é melhor
ter uma ou duas opções para análise.

Esse empreendedor de primeira viagem precisa levar em consideração que pensar grande dá o mesmo trabalho que pensar pequeno. Assim, é claro que o engenheiro pode dar aulas particulares de matemática, mas pode também ampliar essa ideia para um site de reforço escolar para alunos do ensino médio e fundamental, e até de graduação na disciplina de cálculo. A jovem poderia montar uma empresa de “aluguel” de babás, recrutando amigas e amigas das amigas, e a dona de casa poderia fazer uma parceria com uma construtora que esteja levantando um prédio.

A segunda abordagem é a mais valorizada nos livros de planos de negócio e diz respeito a encontrar a “grande
ideia” considerando as tendências de mercado. Isso implica na seguinte reflexão:

Seria interessante copiar algo que já existe?
Seria possível identificar insatisfações ou problemas enfrentados por algum grupo de pessoas ou empresas,
uma necessidade ainda não suprida, algo que ainda não tenha sido bem resolvido?
Quais são as grandes tendências de mercado? Ou de um nicho de mercado? Ou algum acontecimento previsto?

Quem fizer uma boa pesquisa de mercado com base nestas perguntas terá uma enorme lista de ideias.
A partir daí, é necessário refletir sobre quais são mais motivantes. É importante fazer uma espécie de classificação, dando notas para seu nível de motivação.

Com um número menor de ideias, é hora de fazer a análise de mercado de cada uma. Qual seria o tamanho do mercado potencial (em faturamento, número de consumidores)? Como evoluirá a demanda deste mercado nos próximos anos? Quem seriam os concorrentes diretos (produto idêntico) e substitutos (produtos com benefícios similares)? Em última instância, o empreendedor deve saber responder com convicção por que haveria mercado para a ideia escolhida.

O empreendedor pode utilizar a primeira, a segunda ou uma combinação das duas abordagens para gerar ideias e selecionar a que julgar mais atrativa.

Dicas para utilizar a ferramenta

Opção 1
A imensa maioria dos empreendedores não fez pesquisa de mercado quando iniciou seus negócios.
Começou com atividades simples que já sabia executar e teve como primeiros apoiadores e clientes
seus amigos e conhecidos. A opção 1 é baseada em uma teoria chamada effectuation, que defende que
o empreendedor não busca o maior retorno quando inicia o negócio. Na verdade, tenta manter as perdas
em um nível aceitável, dando um passo de cada vez. A história de Alexandre Tadeu da Costa, da Cacau Show, é
mais ou menos assim. Aos 17 anos, como queria ganhar algum dinheiro, decidiu vender ovos de Páscoa no seu
bairro. Vendeu muitos, inclusive num tamanho que o fornecedor não fazia. Na loucura para entregar os
pedidos, teve que pedir dinheiro emprestado e teve a sorte de achar uma senhora que o ensinou a fazer ovos.


Opção 2
A opção 2 consiste na elaboração de um plano de negócio com visão sistêmica (a empresa, suas partes
e o ambiente externo). Quem vai por esse caminho não para de crescer. É um empreendedorismo mais
profissionalizado, se comparado à opção 1. A história da China in Box nasceu deste tipo de abordagem. Robinson Shiba fez uma viagem aos Estados Unidos, onde conheceu a comida chinesa vendida em caixinhas “para viagem”. Decidiu trazer a ideia para o Brasil, apostando no aumento do consumo de comida delivery, já que cada vez menos gente estava disposta a cozinhar. Antes disso, fez uma pesquisa detalhada de mercado, tentando entender qual era o público-alvo, de que tipo de comida chinesa este público gostava, qual seria o nome e o local ideal para a abertura da primeira loja.

As subtendências dentro das tendências:
Muitas pessoas, inclusive especialistas no assunto, tendem a apresentar tendências a partir de estereótipos.
Mas a geralização pode esconder diversos tipos de consumidor. Uma forte tendência que virou realidade é
a chamada “Base da Pirâmide”, pessoas das classes C e D que tiveram aumento de renda e passaram a consumir mais. Estes novos consumidores não formam um único bloco, mas diversos segmentos de clientes que também demandam diferentes produtos. Não é possível tratar todos da mesma forma. Há diversas subtendências dentro da tendência “Base da Pirâmide”. Uma delas é o maior interesse pela educação superior e pelo turismo.

Copie e faça melhor:
Se quer abrir um negócio e tiver a chance de viajar, faça isso. Nas viagens, é possível visualizar diversos tipos
de negócios que poderiam ser adaptados para a sua cidade ou região. Robinson Shiba adaptou as caixinhas
de comida chinesa que viu nos Estados Unidos. Howard Schultz adaptou as cafeterias que viu na Itália para o
gosto norte-americano e criou a Starbucks. Da mesma forma, os irmãos Pedro e Alexandre Grendene viram
uma sandália de plástico em uma viagem à França e decidiram adaptá-las para o gosto das brasileiras.

Insatisfações também geram boas ideias:
Está incomodado com alguma coisa e não encontra uma boa solução no mercado? Mais pessoas sentem
o mesmo? Então, você já encontrou uma boa ideia de negócio. Julie Aigner-Clark tinha se tornado mãe e não
encontrava bons passatempos para a filha. Decidiu gravar vídeos com os brinquedos da menina para abordar
música clássica, exercícios de lógica, matemática e cores. Criou a Baby Einstein, vendida anos depois para
a Disney. Da mesma forma, Luiz Seabra não estava satisfeito com os cosméticos vendidos no Brasil. Eram
formulações europeias para mulheres que viviam em um país tropical. Decidido a resolver o problema, fundou a
Natura e parece que deu certo.

Empreenda se divertindo:
Seja qual for a escolha, é importante que seja um hobby, um passatempo. Ou seja, um assunto prazeroso mesmo para seu tempo livre. É importante que o empreendedor se enxergue querendo aprender mais sobre o assunto, mesmo com 80 anos ou mais. Por fim, é preciso haver um mercado crescente que queira pagar pelo seu hobby. 

Fonte: Marcelo Nakagawa


Postado em 27 de Dezembro de 2021 às 10h49

Como identificar uma oportunidade de inovação?

Novas ideias só surgem quando a sua mente está aberta para novidades, mente ativa, mente criativa e preparada para novas experiências. Lembre-se, qualquer fonte pode ser um ponto de partida para novas ideias e identificação de oportunidades no mercado.

Por isso, informação é a base de novas ideias. Um bom começo é estar bem informado dia a dia. Para inspirar e te ajudar a identificar novas ideias, fique ligado nos seguintes fatores que podem gerar uma boa ideia:

• Experiência enquanto consumidor: se você já foi mal atendido em algum lugar ou já percebeu o que poderia ser feito se você tivesse aquele negócio, isso pode ser uma oportunidade;

• Em situações de crise: nestes momentos surgem necessidades de redução de custo, repensar processos, repensar em produtos, assim, pode surgir algumas
oportunidades de inovações e melhorias;

• Naquilo que você gosta de fazer: as vezes o hobbie se torna seu negócio, por tanto, se você é apaixonado e sabe sobre aquilo, se começar a visualizar com o olhar de empreendedor, pode se surpreender;

• Atento aos acontecimentos sociais: movimentos sociais e comportamentos podem ser observados e aproveitados, muitos no âmbito do esporte, religião e festivo;

• Atento a tendências: é importante estar sempre bem informado, praticar a leitura e acompanhar as tendências daquilo que você tem mais conhecimento, hobbie e que lhe interesse. Se antecipar e ter visão das possibilidades são características de empreendedores;

• Preferências da população: é importante estar atento às preferências, assim, poderá identificar negócios de nichos específicos e com alto valor agregado;

• Mudanças de estilo e padrões de vida: idem ao item anterior, as mudanças de estilo e padrões de vida classificam e posicionam seu negócio, um exemplo: o
surfista tem seu estilo e padrão de vida, ao observá-lo poderá obter ideias que faça atender este nicho;

Fique ligado nos hábitos dos jovens: eles são ótimos consumidores, mas consomem de formas diferentes.

• Conversar com pessoas de todos os níveis sociais e idades: isso é muito interessante para se ter boas ideias, o principal requisito é “pensar fora da caixa”, conversando com pessoas diferentes da sua realidade, que inspiram e fazem você pensar diferente. Isso vai de conversar com uma criança de 3 anos até idosos de 90 anos, suas experiências serão ricas em tendências e possibilidades;

• Visitar eventos e feiras de negócios: estar no meio do mundo dos negócios é essencial e eventos mostram muitas possibilidades, oportunidades, além de gerar uma ótima rede de contatos (network), uma das principais vantagens de um empreendedor;

• Ler e visitar empresas: idem ao item anterior, se você quer abrir um negócio deve-se imergir nesse mundo, nada melhor do que visitar empresas, ler sobre elas, conversar com pessoas que trabalham lá, enfim, poderá se surpreender com os resultados;

• Visitar universidades, incubadoras e institutos de pesquisa: essencial para o desenvolvimento de um novo negócio e um campo rico de possibilidades e ideias, esses locais devem inspirar oportunidades, inovações e necessidades;

• Participar de conferências, congressos, entidades de classe: locais que amplificam sua network e sua visão sobre negócios, ótimo para buscar parcerias estratégicas, com necessidades e oportunidades de negócios;

• Observar negócios existentes: é bem interessante, ao saber como funciona uma empresa e seu mercado, saberá se têm brechas de mercado, possibilidades de
melhorias e aberturas para inovações;

• Empregos anteriores: como vimos na história do empreendedorismo no Brasil, sabemos que este foi um dos grandes motivos para encorajar ex-funcionários a
abrirem seus próprios negócios. Sendo assim, é importante avaliar os empregos que passou ou no qual você atua, poderão surgir possibilidades e oportunidades, tendo em vista que você já conhece o mercado.

Acredito que a partir de agora você irá olhar o mundo com outros olhos, focado em observar possibilidades, ideias e oportunidades, e este é o segredo! Precisa mudar sua mente e deixar de pensar em ser empregado e focar em empreender.

O empreendedor deve observar tudo e todos, de forma dinâmica, sem se preocupar, em primeiro momento, se uma ideia é viável ou não. Deve ser feita em
uma segunda etapa com critérios racionais de negócio que vamos ver adiante. Uma oportunidade de negócio acontece quando a oferta de uma ideia encontrase com a necessidade de alguém disposto a pagar por ela. Portanto, antes de tudo, o empreendedor deve estar convencido de que está identificando uma boa oportunidade de negócio, que ela resolve um problema ou uma dor real do consumidor.

Para este convencimento, deve procurar caracterizar a oportunidade, por meio de uma imersão no mercado e nas características do tipo de negócio que pretende
desenvolver.

Umas das ferramentas mais utilizadas para estimular a criatividade e a geração de novas ideias é o Brainstorming ou tempestade de ideias.

Gustavo Dam - Empreendedorismo e Inovação em Xanxerê


Postado em 01 de Dezembro de 2021 às 13h48

Como criar um ambiente criativo e inovador na empresa

Ferramentas (6)Inovação (7)

Para criar um ambiente criativo e inovador na sua empresa, segundo Pearson (2012), um dos estudos de ambientes organizacionais criativos é o modelo de Ekvall, que consiste em um questionário que investiga as nove dimensões do ambiente organizacional, são elas:

1) Desafio: em que medida os funcionários sentem-se desafiados, emocionalmente envolvidos e compromissados com o trabalho?
2) Liberdade: qual o grau de liberdade dos funcionários para decidirem como fazer seu trabalho?
3) Tempo para pensar: os funcionários têm tempo para pensar antes de agir?
4) Apoio a ideias: há recursos suficientes para que ideias novas saiam do papel?
5) Confiaça e abertura: as pessoas se sentem seguras para dizer o que pensam e expressar pontos de vista diferentes?
6) Descontração e bom humor: em que medida o local de trabalho é descontraído? É permitido divertir-se?
7) Conflitos: em que medida as pessoas se envovlem em conflitos interpessoais e "picuinhas"?
8) Debates: em que medida ocorrem debates entusiasmados sobre os problemas?
9) Disposição para assumir riscos: é permitido errar?

Dimensões que influenciam a criatividade

Avaliando a figura e as perguntas, observamos que depende muito da empresa em questão de se planejar e investir, por isso é interessante, desde que a empresa está começando, já ter no planejamento da empresa os requisitos, assim, quando a empresa crescer já estará preparada e já tem a cultura e o ambiente preparado para a criatividade e inovação.

Ainda sobre como estimular a criatividade, veremos uma tabela na qual mostra alguns dos principais fatores que estimulam e que inibem a criatividade nas empresas. 

Fatores que estimulam e inibem a criatividade


Postado em 23 de Novembro de 2021 às 16h59

Mentoria de Inovação em Xanxerê no Inx Coworking

Mentorias (4)

As mentorias de inovação em Xanxerê ter por objetivo inspirar as pessoas na inovação dentro de suas empresas, no desenvolvimento de novos negócios, criando mais competitividade e destaque da empresa no mercado. Com ferramentas, métodos e dinâmicas, conseguimos transformar pessoas em empreendedoras, criativas e inovadoras, olhando o problema como uma oportunidade, fazendo diferente e criando valor para seus clientes e mercado.

O momento de inovação em Xanxerê e região oeste de Santa Catarina é agora, cada vez mais se debate e coloca em prática o assunto, precisamos de pessoas que pensem como empreendedores e desenvolvam soluções competitivas e inovadoras. 


Postado em 22 de Novembro de 2021 às 11h17

Mentoria transforme sua ideia em um negócio inovador

Mentorias (4)

O processo de desenvolver inovação dentro de um negócio é muito importante e necessário para manter-se competitivo e agregar valor aos produtos e serviços. Então, toda semana nas terças e quintas estamos desenvolvendo mentoria gratuitas voltadas a inovação dos negócios e desenvolvimento de novas ideias para geração de possíveis negócios inovadores, aplicamos métodos e técnicas que desenvolvem a pessoa, produto e processos da empresa.

Recebemos nas últimas semanas diversas pessoas com histórias incríveis de carreira, empreendedorismo e desenvolvimento do negócio de Xanxerê e região. Foi muito gratificante atender online e presencial, ajudando de alguma forma na criação de diferenciais e fazendo o empreendedor refletir sobre ele e sobre seu negócio, a inovação muitas vezes está na pessoa e não no negócio, pois é ela quem vai fazer acontecer, então o desenvolvimento pessoal do empreendedor é importante, as ferramentas de inovação auxiliam no processo de visualizar as possibilidades e dar seguraça e confiança no desenvolvimento, fazendo o empreendedor acreditar no seu potencial e do seu negócio.

Mentoria Presencial de Inovação em Xanxerê

Além das mentorias presenciais, também fizemos online com pessoas de outras cidades como Chapecó. Objetivo é ajudar na inovação das empresas da região oeste de Santa Catarina. São atividades realizadas no INX Coworking de Xanxerê.

Mentoria online de Inovação em Xanxerê


Fale Comigo!

Uso de Cookies

Nós utilizamos cookies com o objetivo de oferecer a melhor experiência no uso do nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda com os nossos Termos de Uso.